sexta-feira, 9 de junho de 2017

Fotografia com o Flash da Câmara


O flash automático integrado na câmara é tão conveniente e fácil de usar, que por vezes nem reparamos que ele dispara. Quando o flash está em modo automático, está sempre pronto a disparar, sempre que o sistema de exposição automática decida que é necessário. Mas a luz proveniente deste tipo de flashes tem certas características que podem fazer a diferença na aparência das suas imagens. Por exemplo, as fotografias em que o flash integrado é disparado, têm uma iluminação sem profundidade, porque este tipo de flash não cria sombras projectadas por iluminação lateral, que revelam texturas e volumes. Abordagens alternativas, tais como o uso de um flash externo, de flash de sincronização lenta, ou de nenhum tipo de flash, podem produzir resultados mais interessantes. De qualquer forma, à medida que se for familiarizando com as características do flash, será capaz de as usar de forma cada vez mais proveitosa. Neste capítulo, abordaremos a fotografia com o flash da câmara, incluindo os modos e técnicas do flash, unidades de flash externas, e acessórios.

Potência e Alcance do Flash
Todos os flashes têm um alcance máximo e a intensidade da sua luz diminui com a distância. A intensidade do flash, quando atinge o objecto, depende da sua potência e da distância que a luz tem que percorrer.

Alcance do Flash
Já alguma vez reparou em pessoas que usam o flash para fotografar a lua, uma paisagem urbana, um concerto, ou evento desportivo, mesmo das bancadas? Qual o efeito que pensa que o flash tem nestas fotografias? Não muito, porque não existe nenhum flash com um alcance tão grande. Na realidade a maioria dos flashes integrados têm alcances que vão até aos 3 metros. Existem apenas três maneiras de aumentar o alcance do flash:

• Usar uma abertura de diafragma maior para deixar entrar mais luz

• Aumentar a sensibilidade (ISO) para que seja necessária menos quantidade luz para obter uma boa exposição.

• Usar um flash externo com um número guia superior (número que indica o alcance do flash).

Como a luz do flash diminui com a distância,
os objectos mais próximos ficarão mais
iluminados do que os objectos mais distantes.
Esta situação pode ser usada para beneficiar
as imagens; por exemplo, à noite, é possível
destacar os objectos de um plano de fundo
mais escuro.
Diminuição da intensidade da luz do flash
Independentemente da potência do flash, quando ele dispara, um feixe de luz expande-se à medida que se afasta da unidade de flash, por isso, a sua intensidade diminui à medida que vai percorrendo uma distância maior para alcançar o objecto. Como resultado, os objectos mais próximos do flash são iluminados com uma luz mais intensa que aqueles que encontram mais distantes.

A proporção a que a luz diminui é descrita pela lei do quadrado inverso. Esta lei diz que se a distância entre o flash e o objecto for duplicada, apenas um quarto a luz alcançará o objecto, porque a mesma quantidade de luz estará distribuída por uma área maior. Inversamente, se a distância diminuir para metade, a luz que atingirá o objecto será quatro vezes mais intensa.

Quando os objectos de uma imagem estão dispostos a distâncias diferentes da câmara, a exposição só será correcta para aqueles que estejam a uma determinada distância – normalmente aqueles que estão mais próximos da câmara ou dentro da área medida pelo sistema de exposição automática. Os restantes objectos irão escurecendo à medida que a distância do flash aumenta.

A luz de um flash diminui com a distância. Quando uma determinada distância é duplicada, a quantidade de luz é reduzida para um quarto. Esta relação chama-se Lei do Quadrado Inverso.



quinta-feira, 8 de junho de 2017

Voodoo 1


Quando a 3DFX lançou o chipset Voodoo, no final de 96, fez um sucesso imediato, pois seus recursos iam muito além das placas 3D da época, que eram realmente primitivas para os padrões atuais. Poderíamos definir o Voodoo da 3dfx como o primeiro chipset 3D “contemporâneo”.

Voodoo foi utilizado em várias placas de vídeo diferentes, sendo a mais famosa e mais vendida a Diamond Monster. Todas as placas equipadas com o chipset Voodoo possuem apenas 4 MB de memória RAM, são vendidas apenas em versão PCI e são apenas aceleradoras 3D, ou seja, trabalham em conjunto com outra placa de vídeo 2D comum, sendo as duas placas ligadas através de um cabo.

A qualidade de imagem era considerada fantástica para a época, mas deixa bastante a desejar para os padrões atuais. Apesar da placa suportar todos os recursos 3D básicos (com excepção do trilinear filtering) algumas imagens apresentam falhas.

Existem também várias limitações: A resolução está limitada a no máximo 640 x 480, apenas 2 MB da memória podem ser usados para armazenar texturas e não é permitido o uso da memória local. Isto faz com que a maioria dos jogos atuais apresentem algumas falhas e alguns polígonos em branco, por falta de memória para armazenar as texturas. Os jogos mais antigos porém, rodam sem problemas.

O desempenho é bem baixo se comparado com o das placas atuais, fazendo com que a placa apresente um baixo nível de quadros por segundo nos jogos atuais, apesar do desempenho ser, em geral, suficiente para os jogos lançados até o inicio de 98. O Voodoo foi um chipset com recursos incríveis para a época, mas não é de se esperar que um chipset com cinco anos de idade seja capaz de rodar os jogos atuais com um bom frame rate.

O chipset Voodoo foi utilizado em diversas placas, a seguir estão alguns exemplos. Todas utilizam o barramento PCI e possuem 4 MB de memória RAM, as diferenças em termos de recursos 3D ou desempenho entre as placas a seguir são ínfimas, pois todas seguem o projeto desenvolvido e cedido pela 3dfx:

  • California Graphics, Deltron Flash 3D, Miromedia Hiscore 3D, Diamond Monster 3D, Guillemot
  • MaxiGamer, Hercules Stingray 128-3D, Intergraph Intense 3D Voodoo, Orchid Righteous 3D,
  • Quantum 3D Obsidian, Skywell Magic 3D, TechWorks Power 3D.
Ficha Técnica do 3dfx Voodoo

Overclock
As placas equipadas com o Voodoo são as mais facilmente overclocáveis, pois a 3dfx incluiu um recurso que permite alterar o clock da placa através de simples comandos MS-DOS Edite o arquivo Autoexec.bat encontrado no diretório raiz do disco rígido, clicando com o botão direito do mouse sobre ele e escolhendo “editar” no menu que surgirá. Adicione a linha: SET SST_GRXCLK=55

Isto fará o processador da placa trabalhar a 55 MHz ao invés dos 50 normais. Para tentar frequências maiores, basta substituir o “55” pela frequência desejada. A Monster geralmente funciona bem a até 56 MHz, acima disso começarão a surgir travamentos.

Se o micro começar a travar durante o carregamento do Windows, aperte F8 durante a inicialização e escolha “Somente prompt do modo de segurança”. Use o comando c:\edit autoexec.bat para editar o autoexec e desfazer a alteração. Obviamente, a 3dfx só garante o funcionamento do seu chipset na frequência defaut de 50 MHz.

in Manual de Hardware Completo
de Carlos E Marimoto



terça-feira, 6 de junho de 2017

Normas de Comportamento


Normas de comportamento aconselhadas pela Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves:

- O Bem Estar das Aves
Dever-se-á obedecer ao princípio básico de que nenhuma ave deve ser perturbada. A visita a locais onde existem ninhos e crias deve ser evitada, uma vez que pode atrair curiosos cuja presença poderá provocar o fracasso da reprodução.

- Deixar Sempre Uma Boa Imagem da Actividade
Todos os que gostam de observar aves, devem dar uma imagem responsável e coerente da sua actuação.

- Contribuir e Zelar pela Protecção e Conservação dos Habitats
Para uma ave o seu habitat é vital, pelo que se deve procurar assegurar não causar nenhum dano ao meio envolvente.

- Evitar Alterar o Comportamento das Aves no seu Meio
A tolerância das aves à presença humana depende da espécie e da época do ano. É aconselhável e seguro fazer o possível para que a presença do observador seja a mais discreta possível, causando o mínimo de perturbação. Deverá manter sempre uma certa distância das aves e ninhos que observa de forma a evitar a alteração de comportamento das aves.

- Ser Cauteloso quando se Trata de Divulgar as suas Observações
Não se deve informar qualquer pessoa da descoberta de ninhos ou de observações de espécies raras ou ameaçadas. Devem ser ponderadas cuidadosamente todas as circunstâncias antes de se divulgar as informações a alguém.

Ao encontrar uma espécie supostamente rara ou ameaçada, dever-se-á comunicar a observação à Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves (http://www.spea.pt).

- Conhecer e Respeitar as Leis de Protecção das Aves
As leis são o suporte legal que torna possível uma efectiva conservação e protecção por parte do país. Todos aqueles que se dedicam à observação de aves devem procurar conhecer as leis, respeita-las e não permitir que sejam esquecidas e ignoradas.

- Respeitar os Outros e ser Discreto
A existência de outros ornitólogos, pressupõe não interromper as suas actividades ou provocar a fuga das aves que são objecto de observação.

- Facilitar o Acesso de Dados quando seja de Interesse Conservacionista
É importante a divulgação da informação sobre as diferentes aves, pois os dados obtidos no campo podem contribuir e ampliar os estudos realizados ou a realizar sobre a Avifauna. Ao divulgar os dados considerados de interesse a organizações conservacionistas, deverá ser assegurada a citação da autoria dos mesmos.

- Seguir Normas Básicas de Boa Conduta
No caso de ser necessário entrar numa propriedade vedada, deverá sempre solicitar a autorização ao proprietário. Nunca deixar cancelas ou portões abertos, atravessar campos cultivados, transpor muros ou vedações.

- Prestar Auxilio às Aves Sempre que se Revelar Necessário
Antes de se tomar qualquer atitude com vista a abordar uma ave que aparenta debilidade, deve assegurar-se que ela necessita mesmo de auxílio. Na eventualidade ede se tratar efectivamente debilitada ou ferida, deverá procurar alguém que possa auxiliar. A Direcção de Serviços da Natureza (Vigilantes da Natureza) e as associações de conservação da natureza devem ser entidades a ter em conta.

in Guia de Observação das Aves



segunda-feira, 5 de junho de 2017

KWC M712 6mm Full Metal CO2 Version


Marca: KWC
Código do Produto: KCB18DHN
Hop-Up: Ajustável
Peso: 1,400 kgs
Comprimento: 284 mm
Capacidade: 22 bb's
Potência: 410 fps
Fonte de energia: Green Gas / Top Gas
Blowback: Sim
Modo de tiro: Semi-automático / Automático

A KWC M712 é baseada na Mauser Schnellfeuer 712 Broomhandle que é uma pistola que é capaz de disparar em automático com velocidade e um recuo que o vai chocar.

O facto desta ser potenciada por CO2 significa que vai obter 410 fps à saída dela, o que não constitui uma surpresa. Isto basicamente significa que não pode levá-la para um jogo de cqb tão cedo, mas certamente irá chamar as atenções de muitos jogadores de airsoft quando a usar no exterior.

Ela autenticamente construída toda em meta, incluindo a chapa da mira ajustável, gatilho, cão, carregador removível de 22 munições, segurança e libertador do carregador. 

Os entusiastas da II Guerra mundial vão salivar pela M712.


in



sexta-feira, 5 de maio de 2017

Acessórios para Objectivas

Muitas objectivas têm uma rosca na parte frontal que permite encaixar filtros e outros acessórios. O problema de alguns acessórios é que eles alteram permanentemente a imagem que capta. Se utilizar um programa de edição fotográfica para obter o mesmo efeito, pode ter sempre a versão original da imagem e aplicar todos os efeitos desejados durante a pós produção. Estes são alguns dos acessórios que pode encaixar:

• As objectivas intermutáveis estão disponíveis para todas as câmaras reflex digitais e telemétricas.

• Os conversores para objectivas permitem aumentar a gama do zoom de câmaras com objectiva zoom fixa (que não pode ser removida). Estes conversores encaixam no zoom da objectiva. O problema destas lentes é que são desenhadas para câmaras específicas. Podem ser bastante caros e se comprar uma câmara nova, ou mesmo uma versão mais recente do mesmo modelo, os conversores podem não funcionar com a nova objectiva.

• Os colares de tripé (lens collars) rodeiam a objectiva e têm um apoio de tripé. Isso permite-lhe montar a objectiva, em vez do corpo da câmara, num tripé, de forma a que a combinação corpo/objectiva fique equilibrada. Quando coloca a objectiva no tripé pode desapertar o colar para rodar a câmara para a posição vertical ou horizontal, enquanto a mantém centrada. Isto elimina a necessidade de tombar a câmara para captar fotos na vertical.

• O pára-sol protege o elemento frontal da objectiva de pancadas e evita que a luz dispersa atinja a objectiva, para não provocar brilhos indesejados ou efeitos fantasma nas imagens.

• As tampas protegem a parte frontal e traseira da objectiva quando não está a utilizá-la. Uma tampa para o corpo protege a câmara quando não tem nenhuma objectiva encaixada. Nas câmaras de anpontar-e-disparar a objectiva por vezes está protegida por uma tampa deslizantes quando não está a utilizá-la.

• Os filtros de protecção mantêm a parte frontal da objectiva livre de riscos e sujidade.

• Os filtros polarizadores circulares eliminam os reflexos de vidros, água e outras superfícies reflectivas, escurecem céus azuis e melhoram a saturação das cores. Se optar por um filtro polarizador linear não pode utilizar o foco automático. Uma vez que estes filtros bloqueiam uma parte da luz, as exposições aumentam em cerca de 2 ou 3 incrementos (stops) – trata-se do factor do filtro.

• Os filtros Skylight reduzem as dominantes azuis que normalmente aparecem quando fotografa assuntos à sombra ou em dias luminosos.

• Os filtros UV absorvem a luz ultravioleta e reduzem o efeito do nevoeiro quando fotografa paisagens ou planos aéreos.

• Os filtros de densidade neutra (ND) diminuem a quantidade de luz que entra na câmara para que possa utilizar velocidade de obturação longas, ou aberturas maiores, em condições de luz intensa. Isso ajuda-o a obter fundos mais suaves em retratos e a capturar melhor quedas de água. Algumas câmaras têm uma função que permite obter o mesmo efeito digitalmente, sem recorrer ao filtro.

• Os filtros de focagem suave suavizam o foco para tornar os retratos mais lisonjeiros e para esbater paisagens ao estilo romântico.

• As lentes para close-up ampliam o assunto sem afectar as definições de abertura.

• Os filtros de conversão de cores permitem-lhe controlar com precisão a forma como captura as cores. Tornam-se desnecessários em câmaras que permitem um controlo rigoroso do balanço de brancos.



quinta-feira, 4 de maio de 2017

Produtos da 3dfx

A 3dfx foi a primeira fabricante a lançar um chipset de vídeo 3D que fosse capaz de gerar imagens de boa qualidade, justamente o chipset Voodoo, utilizado na Monster 1 e em várias outras placas.

Durante mais de um ano, a 3dfx foi a líder absoluta no mercado de placas 3D, até outros fabricantes como a Nvidia começaram a lançar produtos equivalentes ou até mesmo superiores, criando uma competição acirrada.

Infelizmente, a alguns meses atrás, a 3dfx acabou sendo comprada pela Nvidia, depois de alguns anos operando no vermelho. Com isto, a produção das placas Voodoo foi encerrada, mas ainda é possível encontrar alguns modelos à venda, sobras de estoque. Alguns fabricantes vem divulgando planos de licenciar a arquitectura dos chips VSA-100, usados nas placas Voodoo 4 e 5 e lançar versões a serem utilizadas em placas de baixo custo.

De qualquer forma, produzidas ou não, as placas da 3dfx já fazem parte da história da informática, não podendo ficar de fora deste livro.

De um modo geral, as placas da 3dfx são as melhores em termos de compatibilidade, tanto com os jogos, quanto com as placas mãe. São as únicas que suportam a API Glide e as únicas que não apresentam incompatibilidade com algumas placas socket 7. Durante muito tempo, a 3dfx também foi a única entre os grandes fabricantes a produzir placas de vídeo 3D em versões PCI.

Existem muitas placas mãe com vídeo onboard e sem slot AGP, outros fabricantes começaram a explorar o mercado de placas PCI, lançando placas com chipsets Nvidia TnT e GeForce MX em versão PCI, quebrando a exclusividade da 3dfx.

Quanto aos defeitos, também temos vários: os chipsets Voodoo 2 e Voodoo 3 não possuem alguns recursos importantes, como o suporte a grandes texturas e imagens 3D com 32 bits de cor e consequentemente ficam devendo um pouco em termos de qualidade de imagem, enquanto as placas Voodoo 5, especialmente a Voodoo 5 6000, possuem um óptimo desempenho aliado a uma excelente qualidade de imagem, mas em compensação são bem mais caras que as concorrentes de desempenho semelhante. Como disse, não existem placas perfeitas.

in Manual de Hardware Completo
de Carlos E Marimoto



terça-feira, 2 de maio de 2017

O Caderno de Campo

Todos os observadores de aves levam consigo um pequeno caderno para tirar notas e registar as suas observações. Não devemos confiar na nossa memória, pois passado algum tempo, será de todo impossível recordar com exactidão de todos os pormenores observados. De um modo geral o ornitólogo, observa, examina e anota.

Durante a observação de campo, é essencial registar no caderno de campo, todos os aspectos relevantes (ex: detalhes de identificação, comportamentos,
desenhos e esboços da ave, local, data, hora, habitat, etc.) para posterior comparação ou mesmo confirmação da observação em literatura especializada.

Assim sendo o caderno de campo deve ser o suficientemente pequeno para ser transportado num bolso de casaco, sempre acompanhado de um lápis.

inGuia de Observação das Aves



quinta-feira, 27 de abril de 2017

Frequência de operação e Overclock

Assim como um processador, um chipset de vídeo não possui uma frequência fixa de operação. O fabricante determina uma frequência segura, onde o funcionamento é garantido. No Riva TnT por exemplo, a frequência “normal” de operação é 90 MHz para o chipset de vídeo e 110 MHz para a memória. A maioria dos fabricantes seguem estas especificações, e lançam placas onde o Riva TnT trabalha aos 90 MHz normais. Porém, assim como é possível alterar a frequência de operação do processador, também é possível alterar a freqüência do chipset de vídeo ou mesmo da memória, fazendo um overclock.

Na verdade, praticamente todos os periféricos do micro podem ser overclocados de uma maneira ou de outra, e a placa de vídeo não é exceção, como é confirmado por um dos projetistas da 3dfx:
“Any component that has a clock, can be overclocked. We guarantee stability at the shipped clock rate” ou seja “Qualquer componente que tenha uma freqüência de operação pode ser overclocado.

Nós garantimos a estabilidade na frequência original” (trecho extraído do “Voodoo 4 and Voodoo 5 FAQ” http://www.3dfx.com/prod/sup/faq-v45.html#q27).

Como disse, o fabricante determina uma frequência ideal de operação, onde a estabilidade é garantida. Normalmente o chip é capaz de trabalhar bem acima desta frequência default, mas não existe nenhum tipo de garantia por parte do fabricante.

No caso das placas de vídeo, a frequência do chipset pode ser alterada livremente via software, não é preciso fazer nenhuma “gambiarra” na placa, basta ter o programa adequado. Existem utilitários de overclock para quase todos os chipsets de vídeo do mercado, normalmente são programas pequenos, que sequer precisam ser instalados. Se você está à procura de uma “chave mestra” existe um programa chamado Power Strip que permite entre outros recursos fazer overclock em quase todas as placas de vídeo. Este programa é pago, custa 30 dólares, mas existe uma versão de teste que pode ser baixada gratuitamente na pagina do fabricante:


Esta versão possui todos os recursos da versão completa, apenas não permite salvar as alterações.


Existem ainda casos de fabricantes que lançam placas “overclocadas de fabrica”. A Hercules Dynamite TnT por exemplo, utiliza o chipset Riva TnT que como vimos, trabalha a 90 MHz, com a memória trabalhando a 110 MHz. Porém, nela a frequência default é 98 MHz para o chipset e 125 MHz para as memórias. Como chipset trabalhando a uma frequência mais alta, temos um ganho de desempenho proporcional ao aumento da frequência, fazendo com que a Hercules Dynamite seja mais rápida do que uma Viper v550 (onde o chipset trabalha na frequência default de 90 MHz) por exemplo.

As razões para um fabricante vender placas overclocadas são óbvias. Trabalhando a uma frequência maior, seus produtos terão um desempenho superior ao dos concorrentes e o custo de produção será basicamente o mesmo. Apesar de em geral serem menos estáveis, estas placas vendem mais devido ao desempenho superior.

Os efeitos colaterais de overclocar o chipset de vídeo são bem semelhantes aos de overclocar um processador. Trabalhando a uma frequência mais alta, é gerado mais calor e, quanto maior a temperatura, mais instável ficará o chip, e maior será possibilidade de ocorrerem travamentos e surgirem falhas na imagem. Ainda por cima, vida útil é diminuída.

A tentativa de um overclock agressivo também pode fazer com que a placa de vídeo trave durante o carregamento do Windows, assim que o programa de overclock é carregado e a frequência alterada. Neste caso é preciso abrir o Windows em modo de segurança (pressionando a tecla F8 logo no inicio do carregamento do sistema) e desfazer o overclock. Normalmente, as placas funcionam bem a uma frequência até 6 ou 8% superior à original; acima disso, depende da placa e da temperatura ambiente.

Quando for fazer overclock, procure aumentar a freqüência aos poucos, aumente 2 ou 3 MHz, jogue algum jogo pesado durante uma ou duas horas para testar a estabilidade da placa, e se tudo correr bem tente aumentar mais um pouco.

Um dos sintomas mais evidentes de que a placa está próxima do limite, é começarem a aparecer falhas nas imagens dos jogos: riscos, pontos etc. Este sintoma pode surgir tanto devido ao aquecimento do chipset quanto a falhas na memória de vídeo. Os fabricantes que vendem placas overclocadas normalmente investem em soluções para resfriar o chipset de vídeo, geralmente o uso de um cooler sobre ele, objetivando manter a estabilidade mesmo em frequências mais altas.

in Manual de Hardware Completo
de Carlos E Marimoto



terça-feira, 25 de abril de 2017

O Guia de Campo

É através das consultas ao guia de campo que identificamos a espécie de ave que estamos a observar. É um auxiliar indispensável do qual nos devemos fazer sempre acompanhar.

O guia de campo é uma espécie de livro de bolso de carácter enciclopédico e de fácil consulta. Apresenta ilustrações das aves (os guias com fotografias não são aconselháveis) com os principais tipos de plumagem, com a indicação se a ave é adulta, imatura, juvenil, macho ou fêmea, e se possui plumagem de Inverno ou de Verão. A cada espécie é dedicada um texto explicativo relacionado com a sua identificação, características do seu habitat, e mapas de distribuição nas diferentes épocas do ano.

Para a região do Paleártico Ocidental, região na qual se inclui Portugal, a Europa Ocidental e ainda o Norte de África. Existem em língua portuguesa dois guias:

“Guia de Aves” da Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves, da Assírio e Alvim.

“Aves de Portugal e Europa” editada pela FAPAS, e publicada pela Câmara Municipal do Porto, ISBN 972-95951-0-0.


in Guia de Observação das Aves


segunda-feira, 24 de abril de 2017

KSC VZ61 HW GBB (SYSTEM 7) com carregador extra-longo


Marca: KSC
Código do Produto: KSC-GBB-VZ61-PG
Hop-Up: Ajustável
Peso: 1,692 kgs
Comprimento: 520 mm
Capacidade: 40 bb's
Potência: 300 fps
Fonte de Energia: Green Gas / Top Gas
Blowback: Sim
Modo de Tiro: Semi-automático / Automático

Existem muitas réplicas que são frequentemente usadas em pares. Akimbo, como lhe chamam, é a arte do duplo empunho de duas pistolas metralhadoras, carregando no gatilho enquanto ceifa os seus oponentes em tiro automático. Na realidade não interessa se está a atingir o seu alvo. É tudo sobre a sensação que lhe transmite, o força nas suas mãos, o facto de todos à sua vista estão em risco de serem crivados de BB's. Por apenas dois segundos... Sim, o ritmo de fogo da VZ-61 Skorpion GBB está no 20s. 22 BB's por segundo para ser mais preciso.

Isto é com um carregador de 40 munições. O pacote vem com um carregador de 20 e um carregador de 40 munições o mais do que duplica o divertimento. Considerando que um carregador de 20 munições pode esvaziar-se em menos de um segundo, o carregador extra vai durar mais 3 segundos, levando resfriamento em consideração.

Segurando a Skorpion numa mão não é nada difícil  porque é apenas um mais pesada do que a M11A1 com 1.7 kgs. O corpo é maioritariamente em metal, aço para ser mais preciso com o resto dela, tal como o receptor inferior e o punho, é construído em polímero. Assim o duplo empunho de um par de Skorpions não deve ser nada difícil!
 
Em semi-automático também é bastante divertido. É curta, prática e de confiança porque é uma GBB sistema 7. Você pode também abrir a coronha de arame para trás por cima e encostá-la ao seu ombro se quiser uma plataforma de tiro mais estável, mas não é tão satisfatório como carregar no gatilho e espalhar. Não estamos a dizer que deve comprar duas, mas até que ponto será divertido fazer Akimbo?

in



segunda-feira, 10 de abril de 2017

Tokyo Marui M93R AEP (Fixed Slide / w/o Battery & Charger) - Black


Marca: Tokyo Marui
Código do Produto: TM-4952839175120
Hop-Up: Ajustável
Peso: 810 grs
Comprimento: 250 mm
Capacidade: 40 bb's
Potência: 205 fps
Modo de Tiro: Semi-automático / Automático

A Tokyo Marui's M93R AEP, Fixed Sliver Slide, vem agora num pacote sózinha (Bateria e Carregador não estão incluídos). A arma continua tão boa como sempre, com engrenagens de metal e usando uma bateria recarregável alojada na corrediça fixa, esta pistola pode disparar em modo totalmente automático e em modo semi-automático. Esta pistola representa verdadeiramente a próxima geração pistolas de airsoft. Sólida e com uma construção pesada, com um carregador metálico removível alojado no punho. Esta arma está carregada de diversão para disparar e pode encher os vossos oponentes com BB's em segundos. Muito precisa com fácil controlo da acção do gatilho - tal que pode gravar facilmente um 'sorriso' num alvo de cartão!

  • Alimentada por uma bateria recarregável de 7.2v (Não Incluída), uma bateria totalmente carregada pode disparar 250-300 BB's
  • Distância máxima de disparo cerca de 50 metros
  • Aproximadamente 12 disparos por segundo em modo totalmente automático
  • Carregador metálico recarregável alojado no punho

in